domingo, 17 de março de 2013

Persépolis




Primeiro livro em quadrinhos que li e acho que comecei bem.

Persépolis é lindo. O livro é a narrativa autobiografia de Marjane Satrapi. Uma iraniana que viveu no período da revolução islâmica em 1979. De família moderna e politizada, aos 10 anos se vê obrigada ao usar véu para ir ao colégio. Essa era só uma das mudanças que Marji sofreria. A autora traça sua própria história com a do seu país. 

Quando criança deseja ser a próxima profeta, consegue achar semelhanças entre Deus e Marx. Satrapi apresenta uma perspectiva interessante da sua própria cultura, como conviveu com as perdas e restrições. Como ser mulher num local predominantemente machista.

O período que mais gostei é o que ela passa na Áustria durante a adolescência. Onde precisa se estabelecer como uma iraniana que sofreu com a guerra, mas que também enfrenta todos os problemas comuns da idade. 

O livro foi escrito em quatro volumes que a Companhia da Letras compilou em um único. 

A história é contada de forma envolvente, divertida e bem humorada. As cenas e o desenho são simples todo em preto e branco. Eu gostei muito dessa experiência. E gostaria de encontrar outras histórias tão apaixonantes como a da Marjane Satrapi.

7 comentários:

Yatap Kátia Patrícia disse...

Você começou muito bem mesmo. Persépolis é um ótimo livro mesmo.
Lê também "Metamorfose" do Franz Kafka, ilustrado pelo Peter Kuper.
Acho que vais gostar :)

relicariodasrafleur.blogspot.com.br

Camila Faria disse...

Sou louca para ler! Sempre vejo nas livrarias, mas tenho tanta leitura para colocar em dia...

Recomendo o Maus, do Art Spiegelman!

Michelle disse...

Sou louca para ler esse livro! Só vi a adaptação para o cinema e adorei.

E já que todo mundo está dando dicas de graphic novels, vou indicar a minha preferida (até agora): Daytripper

bjo

ellen disse...

Obrigada pelas dicas, meninas

Vou tentar lê-los assim que possível.

Nina disse...

O meu primeiro quadrinho foi no ano passado, e acho que comecei bem com "Pagando por Sexo", do Chester Brown.
Cogito pegar mais quadrinhos esse ano. Me falaram muito do Persépolis. Me aprece, de fato, uma graça. E adoro histórias com tom biográfico e que misturam outras culturas. A gente aprende mais, não é verdade?
Abraços.

ingrid disse...

eu ainda não li o livro.. fiquei super curiosa ate pq só vi o filme e uma foi uma das melhores coisas que fiz na vida..
filme magnifico.. animação cheia de significado e sentimento.. ainda mais que possuo descendencias do oriente médio é algo tocante pra mim..

Samira Ferraz disse...

Dois dos meus melhores amigos são viciados em quadrinhos e vivem dizendo pra eu ler, mas não sou muito fã de história de super heróis. Acho que essa é uma ótima indicação pra eu começar também! :)

Beijo